MCTI e Unifesp lançam editais para promover cultura oceânica nas escolas


A 3ª Olimpíada do Oceano e o edital Feira de Ciências buscam estimular a percepção das futuras gerações sobre a cultura e a preservação dos oceanos

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) anunciaram, nesta terça-feira (9), em Santos (SP), dois editais – a Olimpíada do Oceano e o edital Feira de Ciências – para apoiar iniciativas que fomentam a cultura oceânica nas escolas. O lançamento ocorreu na Associação Comercial de Santos e contou com a presença de representantes do MCTI, Unifesp, CNPq e Unesco.

Diante de uma plateia lotada de estudantes, o professor Ronaldo Christofoletti, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), explicou que a 3ª Olimpíada do Oceano terá uma etapa internacional. Além disso, para os alunos de escolas públicas, haverá oferta com cem bolsas de iniciação científica júnior com duração de dez meses. “A Olimpíada veio aberta e permite que escolas, ONGs, cidadãos, grupos da terceira idade e indivíduo sozinho possam participar dessa Olimpíada”, disse.

Segundo ele, assim como a Olimpíada, o edital das Feiras de Ciência também dialoga com a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que será promovida pelo MCTI em outubro deste ano. “Com o edital das Feiras de Ciência, a escola vai abrir portões e chamar a comunidade para falar da cultura oceânica e sobre a ciência básica para o desenvolvimento sustentável. É um convite, não uma competição”, ressaltou.

O edital Feira de Ciências – Escola Azul vai fomentar trabalhos científicos de estudantes desde o ensino infantil, fundamental, médio e técnico sobre cultura oceânica e da ciência básica para o desenvolvimento sustentável. O edital também contempla educação indígena, quilombola e de jovens e adultos. Os trabalhos serão apresentados durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que será realizada em outubro. Haverá premiação de bolsas de apoio técnico para os professores e de iniciação científica júnior para os estudantes.

Também presente no evento, a diretora do Departamento de Popularização da Ciência, Tecnologia e Educação Científica do MCTI, Juana Nunes, afirmou que a iniciativa vai além de um momento de compartilhar conhecimento. “É um grande instrumento de mobilização”, disse. “Esse movimento é essencial neste ano que temos como o tema da Semana Nacional de Tecnologia as Ciências Básicas para o Desenvolvimento Sustentável, que é construir, a partir da ciência, formas de resolver nossos desafios sociais para ter mundo sustentável”, afirmou.

“Olhar o planeta com sua fragilidade é a responsabilidade que temos para transformá-lo em algo melhor para o futuro”, acrescentou o diretor do departamento de Clima e Sustentabilidade do MCTI, Osvaldo Moraes.

Alunos que participavam do evento de forma presencial e online também tiveram a oportunidade de dar depoimentos sobre os projetos e contar como a cultura oceânica se tornou parte importante de suas vidas.

Após ter participado de uma Olimpíada, a estudante Gabriela Colombo, do Mato Grosso do Sul, de 17 anos, pretende cursar Oceanografia. “Me permitiu entender melhor o tema, a importância dos oceanos e a necessidade de preservá-los”, contou.

Confira os editais e participe:

Edital Feira de Ciências – Escola Azul https://escolaazul.maredeciencia.eco.br/wp-content/uploads/2023/05/Edital-Escola-Azul.pdf

Olimpíada do Oceano –

https://olimpiada.maredeciencia.eco.br/wp-content/uploads/2021/03/Edital-O2-2023.pdf


Publicado

em

por

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *